Humanização vs. Tecnologia Hospitalar

A Humanização nos hospitais foi feita para que toda a jornada em um centro de saúde se torne satisfatória, tanto aos usuários quanto aos colaboradores. O processo deve ser pensado desde a admissão do paciente até o acompanhamento pós-alta.

Humanizar é tornar humano, adquirir novos hábitos mais apropriados ao prisma da ética e moral.

Humanização do atendimento

A humanização do atendimento, deve ter parâmetros de abrangência em três grandes áreas:

  • Acolhimento e atendimento dos usuários;
  • Trabalho dos profissionais;
  • Lógicas de gestão e gerência.

 

Cultura da humanização

Aplicar uma cultura de humanização é ir contra qualquer tipo de ação que negue o outro.

O humanismo implica na centralidade dos seres, reconhecendo que todos têm capacidade de pensar, agir e interagir.

Desafios da implementação da humanização

Implementar a humanização nos serviços é indispensável para conquistar mais qualidade no atendimento e na condição de trabalho dos profissionais.

Grupos de trabalho de humanização

  • Sensibilizar e apoiar a gestão;
  • Constituir grupos de trabalho de humanização;
  • Realizar diagnóstico situacional quanto aos serviços humanizados;
  • Elaborar e implantar plano operacional de ação de humanização;
  • Avaliar os resultados da implantação do processo de humanização.

Parâmetros de humanização

Qualidade da relação entre usuários e profissionais. Prezar pela eficiência, gentileza, interesse, atenção e privacidade dos atendimentos é um grande diferencial.

Princípios da humanização

O que mais se destaca é o poder de ampliar a aceitação e o efeito de um tratamento. Tratar o outro como igual, oferecendo compreensão e oportunidade de que se torne um agente ativo em sua própria saúde é o grande diferencial.

Transversalidade

As diferentes práticas da saúde podem conversar com a experiência do usuário, fazendo com que os saberes produzidos sejam corresponsáveis.

Indissociabilidade entre atenção e gestão

As decisões da gestão interferem diretamente na atenção à saúde. Entretanto, o usuário também deve ser corresponsável por seu cuidado, como protagonista de sua saúde.

Uso da tecnologia

Profissionais da enfermagem de tempos nem tão remotos controlavam gotejamento de soro com auxílio de relógios e roldanas no equipo, aferiam pressão venosa central em colunas de água ou ainda verificavam pressão arterial média com os ultrapassados cachimbos de mercúrio.

A relação entre o cuidado e o aparato tecnológico emergiu como categoria. Mesmo em plena era de automação e controle, os aspectos humanísticos do cuidado aparecem atrelados ao desenvolvimento da ciência.

Por mais que a tecnologia seja eficiente, de última geração ela nunca vai substituir o ser humano porque ela vai estar mostrando os dados, alguns aparelhos dão interferência e aí, o que vai falar se está certo ou errado, é o contato humano, é o técnico.

A tecnologia pode fazer com que a comunicação seja mais integrada, os processos mais eficientes e, por consequência, os profissionais consigam oferecer uma atenção dedicada  pessoal  diferenciada.

A ciência e tecnologia só são fatores desumanizantes quando reduzidos a objetos frios e objetivos. Uma instituição de saúde pode investir na automação para desafogar seus colaboradores e permitir que esses deem atenção desejada e esperada ao paciente.

A implantação de tecnologias no âmbito de saúde, agrega valores assistenciais e administrativos, com maior agilidade, menor risco de erros, otimizando processos, rotinas e recursos humanos, acessibilidade, transparência, segurança, mobilidade, gestão mais produtiva.

Maior facilidade nos processos

A primeira vantagem da automação na área da saúde é garantir mais praticidade e agilidade aos processos. Os profissionais de saúde assistenciais, precisam inserir informações valiosas no prontuário do paciente o tempo todo. A maneira mais comum de fazer isso é usando papel e caneta. Entretanto, já existem recursos capazes de  armazenar todas as informações em um único aparelho, eliminando as descrições manuais.

Controle eficiente dos materiais e medicamentos

Há grande variedade de materiais e medicamentos que são utilizados no dia a dia de uma instituição de saúde, sendo  fundamental controlar todos os itens, garantindo a sua correta destinação e, principalmente, evitando a falta. Com a automação é possível garantir o controle do inventário completo e sua rastreabilidade.

Melhor atendimento

atendimento é parte essencial do serviço de saúde, principalmente, pelo fato de estarmos lidando com a vida humana. Podemos dizer, inclusive, que ele é responsável direto pela fidelização de pacientes.

Uma forma interessante de agilizar esse processo se dá pela automação na área da saúde. É possível contar com recursos tecnológicos que simplificam a vida dos profissionais e, ainda, diminuem o risco de falhas humanas interferirem nas atividades.

Robôs de Farmácia Central, Rotativos na Central Farmacêutica, Dispensários eletrônicos de Medicamentos com dispensação por dose unitária, Dispensários eletrônicos de Materiais Hospitalares, unitarizadoras automáticas sólidos e injetáveis, sistema de checagem beira leito, resumo sucinto de alguns benefícios de implantação de automação no ciclo medicamentoso.

Por parte administrativa

  • Otimização de Headcount;
  • Menor estoque imobilizado;
  • Menor espaço físico necessário;
  • Melhor controle de estoque;
  • Garantia de rastreabilidade;
  • Melhor controle de ressuprimento;
  • Menor Índice de Glosa;

Por parte assistencial

  • Controle por dose unitária;
  • Prescrição versus paciente;
  • Prescrição versus medicamentos;
  • Maior tempo de dedicação ao paciente;
  • Menor tempo na circulação interna pelas equipes farmácia e enfermagem;
  • Checagem automática;
  • Maior tempo à dedicação de Farmácia Clínica;
  • Maior agilidade nos materiais e medicamentos disponíveis;

Máquinas inteligentes, por exemplo, são grandes aliadas para a melhoria de eficiência dos processos de serialização, unitarização, armazenamento e dispensação de medicamentos, reduzindo etapas manuais de profissionais como enfermeiros, auxiliares de enfermagem e farmacêuticos, mão de obra extremamente especializada e cara para desempenhar este tipo de função.

Sob este aspecto, a automação também os ajuda especialmente no processo de administração de medicamentos, que são realizadas com apoio de equipamentos que mapeiam todo o caminho do medicamento até o paciente e só permitem seu acesso mediante a inserção de dados cruzados de médicos, enfermeiros, pacientes e produtos a serem administrados.

Neste contexto, o desafio é promover a humanização da tecnologia por meio de um design que sintetize sentimentos e ciência, já que a tendência é que as máquinas procurem ser mais sensatas do que mecânicas. O desafio, também é, a conciliação harmônica da inteligência artificial e humana, para que atuem de forma complementar.

Ou seja, com a logística hospitalar automatizada, a energia da mão de obra ganha qualidade e foco para o atendimento profissional seguro e mais humanizado.

Leandro T. Ferracini

Fonte:

  • Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro 2017;7:e1883 DOI: 10.19175/recom.v7i0.1883;
  • Anamnese Online “Automação na área da saúde”;
  • Atlantico.com.br/humanizacao-da-tecnologia
  • Portal Saúde Business

Este artigo foi útil para você? Siga nosso perfil  SISNACMED nas redes sociais e acompanhe nossas atualizações.

Venha conversar conosco

 

MENU

PRODUTOS

Rolar para cima